Social Media, Tools

One Visual Tool List to End Them All

cropped-cool-pictures-24.jpg

Continue reading “One Visual Tool List to End Them All”

Advertisements
Social Media

Digital, Social & Mobile in 2015

Social Media, Tecnologia, Vamos todos morrer uma morte horrível

Be impressed! The internet in real time…

 

Now that’s what I call Big Data…

Click the animation to open the full version (via PennyStocks.la).

Opinião, Vamos todos morrer uma morte horrível

The Writings On The Wall

Depois de ver este vídeo, dificilmente se pode dizer que a imprensa não sabia o que aí vinha…

Notícias, Vamos todos morrer uma morte horrível

Bem-vindos a 2009: quem disse que Janeiro é um mês parado?

super-mario-1-up-mushroom-bank-230108

Ainda nem os confetis nem as serpentinas da passagem de ano haviam aterrado no chão, já a Ziff Davis estava a vender à concorrência, a Hearst (dona do  site de lyfestile digital UGO.com), a sua famosa rede 1UP (que incluía a revista EGM)  .

O negócio significou o cancelamento da revista EGM (Electronic Game Monthly) e o despedimento de mais de 30 pessoas. O sangue dos profissionais da indústria de videojogos – e de conteúdos em geral – continua a escorrer. E assim continuará até que o Online e o Papel reencontrem o seu lugar no mercado.

happy-tree-friends-happy-tree-friends-1062712_800_600
A brincar com uma bomba… olha que ainda se magoam… tontos…

Mas nem tudo é mau.

A Apple vai finalmente comercializar no  iTunes músicas livres da maléfica protecção DRM, que tratava os compradores como uma espécie de criminosos.

anti-drm34
Mais depressa se apanha um criminoso…

A Maçã junta-se assim à filosofia de funcionamento de empresas como a Good Old Games, que vende por download jogos clássicos livres de qualquer protecção anti-paranóia pirataria (comprei-lhes recentemente a colecção Redneck Rampage). Uma salva de palmas para a macieira de Steve Jobs (Esteves Trabalhinhos aqui para o pessoal das Olaias).

070521_amazon_drm_free

Bombom de achievment por teres lido até aqui »:-)

Continuando na senda das boas noticias, fica aqui o anúncio (à borla e sem DRM,  porque eu sou assim, um tipo castiço) de que o site FNintendo vai festejar o seu primeiro aninho de existência no bar Lounge (a minha terceira casa e segunda tasca, em LX). É já esta QUARTA-FEIRA, dia  14 de Janeiro, à noitinha, pela fresca. Detalhes aqui. Penso que falo por eles quando digo que os senhores da 1UP que começaram 2009 com o pé esquerdo estão todos convidados.

Deixo-vos de abaladiça com alguns números a negrito porque é uma atitude com imenso estilo e que manda uma granda pausa:

6 mil milhões de músicas vendidas no iTunes.

O  iTunes conta com cerca de 75 Milhões de contas criadas com cartões de crédito válidos.

3.4. Milhões de clientes visitam semanalmente as lojas Apple.

9.7. Mil computadores Mac foram vendidos o ano passado.

Nos últimos seis anos, cada música do iTunes foi vendida por cerca de 0.99 dólares. O novo preço de venda ao público será de 0.69 dólares.

Diversos

Com Monty Python o crime não compensa

python03-746340-1

O que resta do mítico grupo de comediantes ingleses, Monty Python, também já pertence ao clube dos que percebem que competir com a pirataria  é a melhor forma de a combater. O Vídeo explica como se faz:

E agora algo completamente diferente: alguns momentos altos da carreira dos Pythons. Para descontrair e enviar aos amigos.

Romanos vão para casa!

Maratona de incontinentes

Sou um lenhador transsexual, e é na boa.

O cavaleiro negro

Diversos

Impressoras 3D: o próximo trend da pirataria

Forbidden Planet
Forbidden Planet

Quando se me acabavam os cigarros nos meus velhos tempos de amena cavaqueira no IRC (MIRC), costumava dizer aos meus colegas «Epá, estou sem tabaco. Envia-me aí um cigarro por DCC». Mal sabia eu que a piadola se estava a tornar em realidade.

Apesar de já estarem a ser desenvolvidas desde o início da década de 90, as impressoras 3D têm vindo a conquistar o seu lugar no mercado e, como tal, têm visto o seu preço cair significativamente.

O que acontecerá no dia em que for mais barato comprar uma impressora 3D (e os materiais que a alimentam) do que, por exemplo, ir à loja adquirir o ultimo modelo de sapatilhas da Adidas ou aquele relógio novo da Swatch? As hipóteses são ilimitadas e os downloads ilegais vão, sem dúvida, estender-se ao domínio do físico…

Até já consigo imaginar a Sony a inaugurar um sistema de Consoles On Demand, ou seja, de vendas de consolas por download.

Ao menos nessa altura já não haverá razão para a PlayStation 2 chegar ao Brasil com dez anos de atraso