Ladrão que rouba ladrão…

mtv_l

FOR THE WIN: A MTV e o MySpace uniram as suas cabecinhas musicais e chegaram a um conceito que lhes permite, não lutar contra a pirataria, mas lucrar com a pirataria. A ideia é a seguinte: sempre que alguém fizer upload de material que infrinja os direitos de autor, esse material não será retirado do site. Em vez disso o conteúdo enviado pelo utilizador será complementado com outros conteúdos oficiais e publicidade.

FOR THE LOSE: Enquanto MTV e companhia entram finalmente no século XXI, o governo francês e os seus velhos do Restelo insistem que afinal ainda estamos a viver no Século XX. Devem possuir um calendário diferente, com certeza (o do Napoleão).
A ideia é vigiar TODOS os utilizadores de Internet, um a um. Os infractores dos direitos de autor (ou seja, a malta que for apanhada a sacar música, filmes, jogos, enfim, o habitual) recebem até dois e-mails de aviso («Parem com essa cena pá!»). À terceira vez que forem detectados, os malandros dos piratas levam a sua ligação de Internet cortada.
A ideia é: se não usas a Internet de forma legal, não a usas de todo.

O bom senso diz-me que este tipo de monitorização é praticamente impossível de realizar, dada a quantidade de dinheiro e pessoas que envolve. Anda por aí alguém mais entendido neste assunto que nos possa esclarecer (sim, ó TU que estás a ler isto e nunca comentas!)?

🙂

UPDATE:

«Bem…sem entrar em explicações demasiado técnicas, o problema essencial não deverá estar propriamente na monitorização de utilizadores de redes peer to peer, mas sim na distinção entre que conteúdos são ilícitos e quais não são.

Existem algumas maneiras de “marcar” piratas neste tipo de redes, como por exemplo disseminando um “trojan” disfarçado de algum tipo de software pirata que faz log dos utilizadores que o downloadam para um servidor remoto (http://www.securityfocus.com/news/8279).

Outra maneira menos “intrusiva” mas que requer mais intervenção humana, pode passar por pedir aos “trackers” das redes peer2peer informação sobre os seus utilizadores (isto deve ter limitações mas desconheço).

Finalmente, e isto sei que é já hoje utilizado para fazer “traffic-shapping” nos ISP’s [OS TIPOS QUE NOS FORNECEM A INTERNET, Spao, Vodafone, Cabo, etc.], é possível distinguir os pacotes de comunicação para sistemas peer2peer do tráfego normal (suponho que usando um proxy server que examina o cabeçalho dos pacotes não sei…), portanto é teoricamente simples para um ISP saber se um utilizador do seu serviço está a usar a Internet para usar o bit torrent ou afins … agora, se o está a utilizar para fins ilegais ou não, isso já deve ser mais complicado de detectar automaticamente».

Max

Obrigado pelo esclarecimento Max.

5 thoughts on “Ladrão que rouba ladrão…

  1. “O bom senso diz-me que este tipo de monitorização é praticamente impossível de realizar, dada a quantidade de dinheiro e pessoas que envolve.”

    Eu diria que não é fácil…mas eu percebo mais é de bolos…

  2. Sim, compreendo que não nos possas ajudar. Em contrapartida, os cursos de culinária no Técnico (ONDE TU ESTUDASTE!) são especialmente bons… :p

  3. Bem…sem entrar em explicações demasiado técnicas, o problema essencial não deverá estar propriamente na monitorização de utilizadores de redes peer to peer, mas sim na distinção entre que conteudos sao ilícitos e quais não sao.

    Existem algumas maneiras de “marcar” piratas neste tipo de redes, como por exemplo disseminando um “trojan” disfarçado de algum tipo de software pirata que faz log dos utilizadores que o downloadam para um servidor remoto (http://www.securityfocus.com/news/8279).

    Outra maneira menos “intrusiva” mas que requer mais intervenção humana, pode passar por pedir aos “trackers” das redes peer2peer informação sobre os seus utilizadores (isto deve ter limitações mas desconheço).

    Finalmente, e isto sei que é já hoje utilizado para fazer “traffic-shapping” nos ISP’s de internet, é possivel distinguir os pacotes de comunicação para sistemas peer2peer do tráfego normal (suponho que usando um proxy server que examina o cabeçalho dos pacotes não sei…), portanto é teoricamente simples para um ISP saber se um utilizador do seu serviço está a usar a internet para usar o bit torrent ou afins … agora, se o está a utilizar para fins ilegais ou não, isso já deve ser mais complicado de detectar automaticamente.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s